Galeria de marcadores

8 DE MARÇO TAMBÉM É O DIA DA MULHER COM DEFICIÊNCIA


No dia 08 de março comemorou o Dia Internacional da Mulher, um dia de comemoração acima de tudo um dia de reflexão sobre o papel da mulher na sociedade. É nesse ponto que entra a questão da mulher com deficiência, que por muitas vezes, é esquecida e suas lutas por igualdade de gênero e direitos passam despercebidas.

Isso se deve a falta de diálogo entre os movimentos feministas, associações de representação da mulher e os movimentos ligados das pessoas com deficiência, dando um destaque especial, as mulheres com deficiência. Somente com a união de todos esses movimentos é que vamos avançar na conquista de direitos e da representatividade necessária.

                A prova dessa lacuna está na invisibilidade da mulher com deficiência. É notória a ausência de percepção das mulheres sem deficiência com relação as suas iguais com deficiência. Uma prova são os eventos e rodas de conversa para discutir a questão da mulher, mas que não há a representação da mulher com deficiência.

                Ao falar de violência contra a mulher com deficiência se abre um leque imenso de questões, por isso, a necessidade de união coletiva e consciente para que essas mulheres tentam voz ativa na sociedade. Somente assim elas poderão enfrentar as situações de opressão, riscos, maus-tratos, coerção econômica e as mais diversas formas de exploração, tanto em casa quanto no ambiente de trabalho. Sem falar nas questões de preconceito decorrente da deficiência, pois nesse caso, os abusos e negação de direitos são ainda mais graves do que comparados a homens com deficiência.

                Ainda existe um desencontro entre o número de mulheres com deficiência e a reflexão sobre gênero no setor. De acordo com o senso do IBGE de 2010, o número de mulheres com deficiência no Brasil é 5,3 pontos maior que o de homens, dentre o número levantado pelo IBGE 26,5% são mulheres e 21,2% são homens. Conforme o relatório da International Network of Woman with Disabilities sobre violência, mostram que o número de violência contra mulheres com deficiência é três vezes maior do que contra homens com deficiência e na questão dos abusos sexuais e físicos as mulheres sofrem duas vezes mais que os homens.

                Somente discutindo a questão da mulher com a deficiência é que a inclusão de fato vai acontecer, principalmente para as mulheres com deficiência, para essa mudança realmente aconteça é preciso que ela seja feita de dentro para fora, somente assim é possível evitar reversão e retrocessos. Para que isso é necessário que as mulheres com deficiência se unam, sejam vistas, participem de eventos e busquem na sua cidade o conselho da pessoa com deficiência e contribuam nas discussões, somente assim é possível vencer e conquistar seu lugar de direito e destaque na sociedade.

                Que esse 08 de março seja um dia de reflexão e luta para todas as mulheres e que juntas possam conquistar todos seus direitos.




Fique por dentro das notícias com o Blog Gata de Rodas
Bora lá seguir e se cadastrar: Gata de Rodas     
E receba matérias exclusivas. Beijos 

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo