15/08/2019

Gata de Rodas comenta a Expulsão do Deputado Federal Alexandre Frota do PSL.

Foto: Google
Certas coisas são tão óbvias que quando acontecem nem causam estranhamento ou espanto e uma delas foi a expulsão do deputado federal Alexandre Frota do PSL-SP que aconteceu na terça-feira (13/08/2019) após constantes críticas ao presidente Bolsonaro.

Em sua vida pessoal e na sua carreira de ator, Alexandre coleciona polêmicas e talvez se candidatar as eleições e ganhar por um partido conservador de direita para posteriormente ser expulso tenha sido mais um delas.

O rapaz não tem papas na língua e foi um questão de tempo (por sinal até que demorou) para que chutasse o balde e exercesse o seu direito constitucional de expressar os seus pensamentos batendo de frente com a hierarquia do partido e a política adotada pelo presidente da república que chegou até fazer-lhe um convite público, mesmo que em tom de brincadeira, para que ele ocupasse um ministério.
Foto: Google
A candidatura de Alexandre Frota, que recebeu mais de 150 mil votos, sem dúvida ajudou a fortaleceu a bancada do PSL (que era considerado nanico que elegeu apenas um deputado em 2014 e que subiu para 52 nas eleições/2018), porém, sua expulsão foi um divisor de águas para que o partido, em um gesto de "purificação, para felicidade dos partidários e simpatizantes do PSL (Partido Social Liberal), queira implantar uma espécie de "filtro" ideológico para definir quem serão seus candidatos nas próximas eleições e assim evitar que nomes considerados desalinhados ao governo Jair Bolsonaro representem a sigla.

Por outro lado, seria ingenuidade não considerar a possibilidade de Alexandre ter pegado carona na estrondosa ascensão da popularidade do PSL para conseguir um cargo na Câmara ou será que foi o partido que se aproveitou da fama do polêmico ator para aumentar a sua bancada?

Sei lá! Só uma coisa é certa: nesse jogo de interesses "chumbo trocado não dói" e cada qual mostrou "com quantos pau uma canoa se constrói".

Assim, se rompeu a fina linha que separa o amor e o ódio entre Alexandre Frota e Bolsonaro e justamente no dia 13, coincidência ou não, o número 13 desde a Antiguidade Clássica, é considerado o número do azar e até nas Sagradas Escrituras, o capítulo 13 do livro do Apocalipse, é o faz que referência ao anticristo e também à besta.
Foto: Google
Apesar de ter sido expulso do partido, Alexandre não perdeu o mandato de deputado federal e, portanto, ainda está sob o juramento de “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil” e é esse importante e fiel compromisso que deverá ser mantido por Frota, independente do partido que o acolha..
Siga, faça parte do blog, cadastre-se: Gata de Rodas
Receba matérias exclusivas. Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Subir