19/08/2019

O que pensa a cadeirante e ativista sobre o conceito de moda!

O que pensa a ativista e cadeirante sobre o conceito de moda!
O que é moda para uma militante e ativista que luta pela diversidade sexual? 
Não tenho um conhecimento aprofundado sobre moda, pra mim é uma forma de se vesti adaptando ao corpo e estilo de vida.
Então, Gata de Rodas algum tempo atrás foi desafiada para participar do painel sobre moda. 
Como assim, moda? 
- Mas, falar sobre moda, me pegou de jeito porque apesar de gostar de moda, eu não fazia a mínima ideia de onde eu poderia me encaixar nessa área, porque não sou modelo e muito menos estilista. 
O que falar sobre esse universo da moda? 
Eu perguntei para o organizador do painel, onde eu me encaixo nesse debate.
E qual foi a minha surpresa quando me respondeu: você é uma ícone fashion copiada por muitas mulheres com deficiência, porque eu difundia a imagem de mulher sexy. 
Sério, eu nunca havia me visto sob esse prisma, mas fiquei feliz em estar passando essa imagem e sendo referência para essas mulheres cuja a autoestima muitas vezes é abalada por não terem os corpos perfeitos.
Sei que também não me encaixo nos padrões de beleza exigidos pela sociedade, mas eu nunca tive vergonha do meu corpo, tanto que eu sempre gostei de minissaia, shortinho, biquíni ou maiô. Na adolescência eu até fui vista como periguete. 
Sinceramente, eu nunca me importei com a opinião dos outros porque o importante era eu estar de bem comigo mesma.
Já na fase adulta, devido ao trabalho e aos vários compromissos sociais aos quais eu passei a participar devido ao meu Blog e a minha militância, que eu adotei esse jeito com o qual eu me visto atualmente.
Eu até que gostaria de seguir a moda, que tem roupas lindíssimas, mas as roupas da moda não se encaixam no meu corpo fora das medidas padrão e quanto as roupas inclusivas, pelo pouco que eu vi, eu não me identifiquei com elas.
E nesse estilo o qual eu me visto atualmente, eu busco combinar:
- peças sociais com esportivas,
- peças amplas e largas com peças curtas e justas,
- as cores e estampas com acessórios modernos para completar o visual,
- a minha idade,
- o ambiente em que vai acontecer o evento
- e o meu jeito descolado com o qual eu curto o meu corpo com deficiência.
E devido a esse toque pessoal que eu dei no meu estilo de vestir, essa é a minha identidade. Quando vou as compras, eu já reservo o dia inteiro, porque pode parecer simples, mas são combinações difíceis de achar para o meu tipo de corpo principalmente porque eu sempre levo em conta que tudo deve ser discreto e marcante e que tudo também deve ser confortável e prático para que eu possa colocar sozinha.
E, quando o assunto é sapato, eu recorro as lojas virtuais porque como o meu pé é pequeno, nas lojas físicas, eu só encontro sapato para criança, tipo da Xuxa, da Frozen. Eu adoro salto alto, eu peço por encomenda e sob medida.
E foi assim, sem nunca imaginar ser referência de moda, que eu criei o estilo Gata de Rodas de se vestir, cujo o marco são as minissaias que eu não abro mão e o salto alto afinal a mulher cadeirante também tem a sua vaidade.
É isso aí, crie você também a sua identidade!
Siga, faça parte do blog, cadastre-se: Gata de Rodas
Receba matérias exclusivas. Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Subir